20 Histórias Bíblicas Infantis (com Moral da História)

Histórias Bíblicas Infantis

Histórias bíblicas infantis são uma ótima maneira de ensinar a Palavra de Deus às crianças.

Elas tornam os temas bíblicos mais acessíveis, ajudando as crianças a compreenderem os valores cristãos de forma mais simples.

Neste artigo, selecionamos 20 histórias bíblicas e adaptamos para o público infantil com suas respectivas lições morais.

Conteúdo

1. A Criação do Mundo

A Criação do Mundo

Referência Bíblica: Gênesis 1 e 2

Há muito, muito tempo, não existia nada além do vazio e da escuridão. Mas, algo mágico aconteceu! Deus, o Criador de tudo, decidiu fazer algo incrível.

No primeiro dia, Ele disse: “Que haja luz!”, e a luz brilhou e afastou a escuridão.

Deus ficou tão feliz com a luz que decidiu separar o dia da noite, e foi assim que o primeiro dia surgiu!

Mas Deus não parou por aí. No segundo dia, Ele estendeu Seus braços, separou o céu do mar, fez nuvens fofinhas e um oceano profundo. Ele viu que era bom!

No terceiro dia, Deus criou a terra seca, fez montanhas altas, vales verdes e campos coloridos com lindas flores.

Nesse dia, Ele também fez árvores com maçãs, laranjas, morangos, bananas e muitas outras frutas saborosas.

No quarto dia, Deus, então, olhou para o céu e pensou: “Seria tão bonito se houvesse luzes brilhantes à noite!”

E assim Ele criou o sol para nos iluminar durante o dia, a lua para nos acompanhar durante a noite e as estrelas para nos fazer sorrir.

No quinto dia, Deus encheu o céu e o mar com criaturas maravilhosas. Ele fez peixes coloridos nadarem nos oceanos e pássaros voarem com suas belas asas.

No sexto dia, Deus decidiu fazer algo muito especial. Ele disse: “Vamos criar seres que se pareçam conosco!” e assim, Ele criou o homem e a mulher.

Ele os fez com amor e carinho, dando-lhes corpos incríveis, corações amorosos e mentes cheias de imaginação.

Quando Deus terminou de criar tudo, Ele olhou ao redor e viu que tudo era muito bom.

Então, no sétimo dia, Ele descansou para admirar e apreciar toda a sua maravilhosa criação.

Essa é a história da Criação do Mundo, onde Deus fez tudo com amor e nos deu um maravilhoso lar para viver.

Moral da história “A Criação do Mundo”

Deus fez tudo com amor e carinho e nos deu a tarefa especial de sermos guardiões da natureza, por tanto, devemos cuidar e apreciar o mundo em que vivemos.

Quando fazemos isso, mostramos nossa gratidão a Deus e ajudamos a manter nosso lar bonito e saudável para todos. 

Então, vamos sempre lembrar de cuidar e apreciar o mundo ao nosso redor, porque ele é um presente especial de Deus para todos nós.

2. Adão e Eva no Paraíso

Adão e Eva no Paraíso

Referência Bíblica: Gênesis 2 e 3

No início do mundo, havia um lugar muito especial chamado Jardim do Éden, lá era um paraíso. Nesse lugar lindo e cheio de cores, viviam Adão e Eva, as primeiras pessoas.

Adão e Eva eram muito felizes, eles brincavam com os animais, cuidavam das plantas e exploravam todos os cantinhos desse lugar encantador. Deus havia dado a eles tudo o que precisavam.

No Jardim do Éden, havia duas árvores especiais: a Árvore da Vida e a Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal

Deus disse a Adão e Eva que eles podiam comer frutas de qualquer árvore, exceto da Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal.

Um dia, uma serpente astuta se aproximou de Eva e começou a conversar com ela. 

A serpente disse: “Eva, por que você não experimenta uma frutinha dessa árvore? Ela fará você saber de tudo, como Deus!”. A serpente estava enganando Eva.

Eva ficou tentada e decidiu pegar um fruto da Árvore do Conhecimento do Bem e Mal e comer. Ela deu um pedaço para Adão também comer. 

Quando eles comeram o fruto, sentiram algo diferente. Eles perceberam que estavam nus e ficaram com medo.

Deus, que sempre sabia de tudo, veio ao encontro de Adão e Eva e perguntou: “Vocês comeram da Árvore que eu disse para não comer?”. 

Adão e Eva ficaram tristes e admitiram que o desobedeceram. Deus ficou triste, mas mostrou amor e misericórdia. 

Ele disse a Adão e Eva que haveria consequências por suas ações, mas que Ele sempre estaria com eles e que ainda os amava muito.

Então, Deus fez roupas especiais para cobrir Adão e Eva, e os enviou para fora do Paraíso, para que aprendessem lições importantes e crescessem em sabedoria.

Mesmo após saírem do Paraíso, Deus continuou cuidando de Adão e Eva, e eles aprenderam a importância da obediência e a confiar no Senhor em todos os momentos.

Essa é a história de Adão e Eva no Paraíso.

Moral da história “Adão e Eva no Paraíso”

A história de Adão e Eva no Paraíso nos ensina que devemos ser obedientes às orientações de Deus e tomar decisões corretas.

Mas, mesmo quando erramos, Deus ainda nos ama e está sempre ao nosso lado, nos guiando, protegendo e nos ajudando a aprender com nossos erros.

3. A Arca de Noé

A Arca de Noé

Referência Bíblica: Gênesis 6, 7, 8 e 9

Noé era um homem bom e justo, e muito especial aos olhos de Deus. Então, o Senhor o escolheu para uma tarefa muito importante.

Deus disse a Noé: “Noé, estou enviando um dilúvio para limpar a Terra, mas quero que você construa uma grande arca para salvar a sua família e um casal de cada animal da Terra”.

Noé ficou surpreso, mas confiou em Deus e começou a construir a arca com a ajuda de sua família. Era um trabalho difícil, mas eles trabalhavam com alegria e fé.

Enquanto a arca estava sendo construída, as pessoas ao redor zombavam de Noé.

Elas não acreditavam que um dilúvio poderia acontecer, mas Noé continuou a obedecer a Deus e continuou sua obra.

Quando a arca foi finalmente concluída, Noé e sua família entraram nela com os animais.

Deus fechou a porta da arca e, então, começou a chover. A chuva era tão forte que toda a terra foi coberta pelas águas.

Na arca, Noé e sua família cuidavam dos animais, dando-lhes alimentos e cuidados.

Durante quarenta dias e quarenta noites, a chuva não parou, mas a arca flutuava em segurança sobre as águas.

Finalmente, depois de muito tempo, a chuva parou, e Noé soltou uma pomba para ver se a água havia baixado.

A pomba voltou com um ramo de oliveira, era sinal de que a terra estava secando. Deus havia cumprido sua promessa de salvar Noé e sua família.

Quando a água finalmente secou, o Senhor disse a Noé e sua família que eles podiam sair da arca. Eles estavam muito felizes por estarem seguros e salvos.

Noé construiu um altar e agradeceu a Deus por tê-los salvado. Deus ficou feliz com a gratidão de Noé e prometeu nunca mais enviar um dilúvio para destruir a terra novamente, e fez um lindo arco-íris no céu como sinal de Sua promessa.

Moral da história “A Arca de Noé”

A história da Arca de Noé nos ensina que Deus nos protege e cuida de nós, mesmo em meio às dificuldades. 

Ela nos lembra da importância de obedecer a Deus, confiar em Suas promessas e cuidar de todas as criaturas que Ele fez. 

4. A Torre de Babel

Referência Bíblica: Gênesis 11

Havia um tempo em que todas as pessoas da Terra falavam a mesma língua e viviam juntas em harmonia. Nessa época, elas decidiram construir uma torre tão alta que chegasse ao céu.

Deus viu que as pessoas estavam ficando orgulhosas e arrogantes. Elas pensavam que podiam ser tão poderosas quanto o Senhor, e isso não estava certo.

Então, Deus decidiu confundir as línguas das pessoas. O que antes era uma língua comum se tornou diversas outras diferentes. De repente, elas não conseguiam mais se entender.

Não conseguindo mais se comunicarem e trabalharem juntas na construção da torre, elas se separaram em grupos com línguas diferentes e saíram da cidade.

A partir desse dia, as pessoas espalharam-se por toda a Terra, cada grupo indo para um lugar diferente, onde pudessem se entender.

A torre inacabada foi chamada de Torre de Babel, pois “Babel” significa confusão.

Moral da história “A Torre de Babel”

Essa história nos ensina que é importante sermos humildes e respeitarmos o poder de Deus. Não devemos ser orgulhosos ou pensar que somos melhores do que os outros.

Ela também nos mostra que a comunicação é muito importante, pois quando as pessoas não conseguem se entender, as coisas se tornam confusas e difíceis.

5. Abraão e a Promessa de Deus

Abraão e a Promessa de Deus

Referência Bíblica: Gênesis 12, 15 e 17

Abraão vivia com sua esposa, Sara, em uma terra distante.

Um dia, Deus apareceu para Abraão e disse: “Abraão, eu farei de você um grande povo e abençoarei todas as nações por meio de você”. Abraão ficou surpreso e feliz com essa promessa de Deus.

Deus disse a Abraão para deixar sua terra e sua família e ir para uma nova terra que Ele lhe mostraria. Abraão confiou em Deus e decidiu seguir sua orientação.

Abraão e Sara partiram para a nova terra, carregando suas posses e seus animais. Eles caminharam por muitos dias até chegarem à terra que Deus havia prometido.

Deus mostrou a Abraão a terra que seria de sua descendência. Ele disse: “Abraão, todas as terras que você está vendo serão para seus filhos e para os filhos de seus filhos”.

Abraão ficou muito feliz e agradecido por essa promessa maravilhosa. Ele sabia o Senhor estava cuidando dele e que cumpriria suas promessas.

Os anos se passaram e, apesar de Abraão e Sara serem muito idosos, Deus abençoou-os com um filho chamado Isaque. Ele era um presente especial do Senhor e a realização de Sua promessa.

Então, Abraão e sua família viveram uma vida feliz e abençoada.

Moral da história “Abraão e a Promessa de Deus”

A história de Abraão nos ensina que devemos confiar em Deus e seguir Seus planos mesmo quando as coisas parecerem impossíveis.

Quando confiamos no Senhor e fazemos o que Ele nos pede, Ele nos abençoa e nos guia em nossas vidas.

Abraão confiou no Senhor e seguiu Seus planos, e Ele o abençoou com uma família e uma terra especial.

6. Moisés e a Travessia do Mar Vermelho

Moisés e a Travessia do Mar Vermelho

Referência Bíblica: Êxodo 14

Há muito, muito tempo, um bebê chamado Moisés foi colocado em um cestinho e enviado pelo rio para ser protegido.

Ele foi encontrado pela filha do faraó que o levou para viver no palácio. Moisés cresceu como um príncipe egípcio, mas ele sabia que era diferente.

Certo dia, Deus apareceu para Moisés em uma chama ardente e disse: “Moisés, eu tenho um plano especial para você. Você será o líder do meu povo, os israelitas, e os conduzirá à liberdade“. Moisés ficou um pouco assustado, mas confiou em Deus.

Então, ele foi até o faraó, o governante do Egito, e pediu para libertar os israelitas. No entanto, o faraó não queria deixar o povo ir embora.

Deus sabia que o faraó não mudaria de ideia facilmente, então Ele enviou dez pragas para o Egito.

Primeiro, os rios se transformaram em sangue, depois vieram as rãs, os piolhos, as moscas e outras pragas.

Mas, ainda assim, o faraó ainda não permitiu que os israelitas partissem. Então, Deus disse a Moisés para levar os israelitas e sair do Egito.

Eles partiram à noite, com Deus os guiando por uma coluna de nuvem durante o dia e uma coluna de fogo durante a noite.

Quando o faraó soube que o povo havia escapado, ele os perseguiu com seu exército. Os israelitas haviam chegado a um local chamado Mar Vermelho e não tinham como atravessá-lo.

Mas Deus operou um milagre! Ele disse a Moisés para estender sua vara sobre o mar, e o mar se abriu em duas partes. O povo de Israel atravessou o mar em terra seca, com água de cada lado.

Quando o exército do faraó tentou seguir os israelitas pelo mar, as águas voltaram ao normal e engoliram os soldados. Deus havia salvado o povo de Israel e mostrado Seu grande poder.

Moisés e o povo cantaram e dançaram de alegria, agradecendo a Deus pela libertação. Eles sabiam que o Senhor os amava e estava sempre ao seu lado, protegendo-os.

Moral da história “Moisés e a Travessia do Mar Vermelho”

Vamos lembrar da história de Moisés e da travessia do Mar Vermelho, sabendo que Deus está conosco, nos protegendo e nos ajudando a enfrentar os desafios da vida.

Deus pode fazer coisas extraordinárias para nos ajudar em momentos difíceis.

Assim como Ele abriu o Mar Vermelho para os israelitas atravessarem, Ele também está ao nosso lado para nos guiar e proteger.

Além disso, a história nos mostra que a liberdade é um valor importante.

Deus quer que sejamos livres. Ele nos ajuda a conquistar nossa liberdade e nos encoraja a seguir os caminhos da justiça e a lutar contra a opressão.

7. A Queda das Muralhas de Jericó

A Queda das Muralhas de Jericó

Referência Bíblica: Josué 6

Há muito tempo, havia uma cidade chamada Jericó, cercada por grandes muralhas. Essas muralhas eram tão altas e fortes que pareciam impossíveis de serem derrubadas.

O povo de Israel, liderado por Josué, precisava conquistar Jericó para alcançar a terra prometida por Deus.

Deus disse a Josué que Ele estaria com eles e os ajudaria a conquistar a cidade.

O Senhor deu a Josué um plano, Ele disse: “Vocês marcharão ao redor das muralhas de Jericó uma vez por dia durante seis dias. No sétimo dia, vocês marcharão sete vezes ao redor das muralhas e então todos darão um grande grito e as muralhas cairão“.

Josué e o povo de Israel confiaram em Deus e seguiram seu plano. Eles marcharam ao redor das muralhas de Jericó uma vez por dia, as pessoas da cidade olhavam para eles, curiosas.

No sétimo dia, os israelitas marcharam sete vezes ao redor das muralhas. Quando chegaram ao final da sétima volta, todos deram um grande grito, como Deus havia ordenado.

Então, algo incrível aconteceu! As muralhas de Jericó desabaram! Os israelitas entraram na cidade e a conquistaram, seguindo a vontade de Deus.

Moral da história “A Queda das Muralhas de Jericó”

A história nos ensina sobre a importância da obediência.

Josué e o povo de Israel seguiram as instruções de Deus e foram abençoados com a vitória sobre Jericó.

Isso nos mostra que, ao obedecer a Deus e fazer o que Ele nos pede, podemos alcançar grandes coisas.

A história também nos lembra que a união e o trabalho em equipe são essenciais.

O povo de Israel marchou juntos ao redor das muralhas, seguindo o plano de Deus. Eles se apoiaram e confiaram uns nos outros para alcançar a vitória.

8. Davi e Golias

Davi e Golias

Referência Bíblica: 1 Samuel 17

Davi era um jovem pastor que vivia em Israel. Ele era bastante corajoso e tinha muita fé em Deus.

Um dia, o exército de Israel estava em uma batalha contra o exército dos filisteus, que tinham um gigante chamado Golias.

Golias era enorme e forte, e todos no exército de Israel estavam com muito medo dele. Ele desafiava os israelitas todos os dias dizendo que se alguém conseguisse derrotá-lo em uma luta, os filisteus se renderiam.

Davi era pequeno e jovem, mas ele não tinha medo de Golias. Ele disse ao rei Saul que iria lutar contra o gigante, o rei Saul ficou surpreso, mas viu a coragem de Davi e permitiu que ele fosse.

Antes de enfrentar Golias, Davi pegou cinco pedrinhas lisas do rio e as colocou em sua bolsa. Ele tinha uma funda, uma espécie de estilingue, e confiava em Deus para ajudá-lo.

Quando Davi se aproximou de Golias, o gigante riu dele, zombando de seu tamanho. Mas Davi disse: “Eu venho em nome do Deus Todo Poderoso, e Ele me ajudará a derrotá-lo!”

Davi colocou uma pedrinha na funda, girou-a e a lançou com toda a sua força. A pedrinha voou pelo ar e acertou Golias na testa, o gigante caiu no chão, derrotado.

O povo de Israel ficou chocado e admirado com a coragem e a fé de Davi. Eles viram que Deus estava com ele e que não importa o quão grande sejam os desafios, quando confiamos em Deus, Ele nos dá forças para vencê-los.

Moral da história “Davi e Golias”

Davi nos mostra que não importa o quão pequenos ou frágeis nos sintamos, podemos superar grandes desafios com coragem, fé e confiança em Deus.

9. Daniel na Cova dos Leões

Daniel na Cova dos Leões

Referência Bíblica: Daniel 6

Daniel era um homem sábio, corajoso e muito fiel a Deus. Um dia algumas pessoas más ficaram com inveja de Daniel e fizeram um plano para prejudicá-lo.

Essas pessoas foram até o rei da Babilônia e o convenceram a fazer uma lei que proibia as pessoas de orar a qualquer outro Deus, exceto ao rei.

Mas, Daniel amava e adorava somente ao Deus cristão, então ele continuou orando todos os dias como sempre fez.

Quando o rei descobriu que Daniel desobedeceu à lei, ficou muito triste, pois gostava muito de Daniel. Mas, como o rei havia assinado a lei, ele teve que cumprir.

Então, Daniel foi colocado na cova dos leões, um lugar cheio de leões ferozes.

Na cova, os leões rugiam e pareciam prontos para atacá-lo, mas Deus enviou um anjo para protegê-lo.

Os leões não machucaram Daniel, nem sequer o arranharam, pelo contrário, eles se tornaram mansos e calmos na presença dele.

Na manhã seguinte, o rei foi até a cova dos leões, preocupado com o que poderia ter acontecido a Daniel. Mas, para sua surpresa e alegria, ele o encontrou vivo e ileso.

O rei ficou muito feliz e percebeu o poder do Senhor e reconheceu que o Deus de Daniel era verdadeiro e poderoso.

Então, ele fez uma nova lei para que todos no reino adorassem e respeitassem somente o Deus de Daniel.

Moral da história “Daniel na Cova dos Leões”

Daniel nos ensina que, mesmo sendo colocado em uma cova cheia de leões ferozes, ele não teve medo. Ele confiou em Deus e acreditou que Ele o protegeria.

Isso nos mostra que, quando confiamos em Deus, podemos enfrentar qualquer situação com coragem.

A história também nos ensina sobre a importância da obediência a Deus. Daniel continuou orando ao Senhor mesmo quando isso era proibido.

Ele colocou sua fé em primeiro lugar e não deixou que as leis dos homens o afastasse de seu relacionamento com Deus.

10. O Nascimento de Jesus

O Nascimento de Jesus

Referência Bíblica: Lucas 2

Há muito tempo, numa pequena cidade chamada Belém, havia uma jovem chamada Maria.

Um dia, um anjo chamado Gabriel apareceu para Maria e disse: “Não tenha medo, Maria! Deus te abençoou e você dará à luz a um menino, Ele se chamará Jesus e será o Filho de Deus”.

Maria ficou muito feliz com essa notícia. Ela estava noiva de um homem chamado José, e eles sabiam que esse bebê seria muito especial.

Pouco tempo depois, o rei Herodes mandou que todos se registrassem em suas cidades de origem. José e Maria tiveram que viajar para Belém, a cidade onde José nasceu, para se registrarem.

Quando chegaram a Belém, não havia lugar para eles ficarem, todas as hospedarias estavam cheias. Então, eles encontraram abrigo numa humilde estrebaria, onde havia animais.

Naquela noite especial, Maria deu à luz ao menino Jesus. Ela o enrolou em paninhos e o deitou numa manjedoura, uma espécie de cocho onde os animais se alimentam.

Enquanto isso, nos campos próximos, havia pastores cuidando de suas ovelhas.

De repente, um anjo apareceu para eles e disse: “Não tenham medo! Trago boas notícias: nasceu o Salvador, que é Cristo, o Senhor! Vocês o encontrarão em Belém, deitado numa manjedoura”.

Os pastores ficaram muito felizes e foram rapidamente até Belém. Lá, encontraram Maria, José e o pequeno Jesus exatamente como o anjo havia dito.

Eles se maravilharam com o nascimento do menino Jesus. Adoraram o bebê e contaram a todos sobre o que haviam visto e ouvido.

Os pastores sabiam que o menino Jesus era especial, era o Salvador prometido. Então, voltaram para os campos glorificando e louvando a Deus por tudo o que presenciaram.

Essa é a história do nascimento de Jesus, um momento mágico e cheio de amor.

Jesus veio ao mundo para trazer esperança, paz e amor a todas as pessoas. Seu nascimento é celebrado todos os anos no Natal.

Moral da história “Nascimento de Jesus”

Jesus nasceu em uma manjedoura, um lugar humilde, porque Ele veio para nos mostrar que o amor e a bondade não dependem de riquezas ou coisas materiais.

Ele também veio para nos ensinar que o verdadeiro amor está no nosso coração e que podemos compartilhá-lo com os outros.

Jesus trouxe esperança e alegria para o mundo e nos mostrou como ser bons e gentis com as pessoas ao nosso redor.

11. Os Três Reis Magos

Os Três Reis Magos

Referência Bíblica: Mateus 2

Há muito tempo, num lugar distante, viviam três homens sábios chamados Gaspar, Melchior e Baltasar. Eles eram conhecidos como os Três Reis Magos.

Gaspar, Melchior e Baltasar estudavam as estrelas e sabiam que algo muito especial estava prestes a acontecer.

Uma noite, eles viram uma estrela brilhante e diferente no céu, e souberam que era um sinal de que um rei muito importante tinha nascido.

Os Três Reis Magos ficaram emocionados e decidiram seguir a estrela para encontrar o bebê especial.

Eles pegaram presentes valiosos — ouro, incenso e mirra —, montaram em seus camelos e partiram em uma jornada ao encontro do rei que havia nascido.

Viajaram por terras distantes, atravessaram montanhas e desertos, seguindo a estrela brilhante. A estrela os levou a Belém, onde encontraram Maria, José e o pequeno Jesus.

Os Reis Magos ficaram maravilhados ao ver o bebê, se ajoelharam diante dele, ofereceram seus presentes e o adoraram.

Reconheceram que Jesus era o Filho de Deus, o Salvador prometido, e sentiram uma grande alegria em seus corações por encontrarem o menino.

Após visitar Jesus, os Reis Magos foram avisados em um sonho para não voltarem ao rei Herodes, pois ele tinha planos maus para o bebê. Eles seguiram o conselho do sonho e retornaram para suas terras por outro caminho.

No Natal, celebramos a visita dos Três Reis Magos, lembrando que Jesus é um presente especial para todos nós.

Moral da história “Os Três Reis Magos”

Eles nos mostram que podemos buscar a verdade, seguir nossa fé e compartilhar o amor de Jesus com o mundo.

Lembraremos da história dos Três Reis Magos, sendo generosos, bondosos e buscando a presença de Jesus em nossas vidas.

Assim, estaremos seguindo o exemplo deles e tornando o mundo um lugar melhor para todos.

12. A Parábola do Bom Samaritano

A Parábola do Bom Samaritano

Referência Bíblica: Lucas 10

Certo dia, um homem estava viajando por uma estrada quando de repente foi atacado por ladrões. Eles levaram tudo o que ele tinha e o deixaram ferido à beira do caminho.

Passaram por lá um sacerdote e um levita, que eram pessoas importantes na comunidade. Eles viram o homem ferido, mas decidiram não ajudar. Eles seguiram em frente, fingindo não vê-lo.

Mas, um samaritano que vinha pelo mesmo caminho correu até o homem que estava no chão, limpou suas feridas e as cobriu com curativos. Ele o colocou em seu próprio animal e o levou a uma estalagem, onde cuidou dele durante a noite.

No dia seguinte, o Bom Samaritano deu dinheiro ao dono da estalagem e disse: “Cuide bem dele, e se você gastar mais do que dei, pagarei a diferença quando voltar”.

Samaritanos eram pessoas da cidade de Samaria e, naquela época, os judeus não gostavam deles, pois pensavam que eles não eram boas pessoas.

Mas, um samaritano mostrou um amor e cuidado especial pelo homem ferido, mesmo que não o conhecesse.

Ele não se importou com as diferenças ou rivalidades e apenas viu alguém que precisava de ajuda e agiu com bondade.

Moral da “Parábola do Bom Samaritano”

Na história, vimos que o sacerdote e o levita, que eram pessoas importantes, passaram pelo homem ferido e não o ajudaram. Mas, o samaritano, mesmo sendo diferente e não conhecendo o homem, parou e cuidou dele.

Isso nos mostra que devemos ser bondosos e ajudar as pessoas que estão precisando, mesmo que elas sejam diferentes de nós.

Não importa se alguém tem uma aparência diferente, fala uma língua diferente ou acredita em coisas diferentes, o que importa é tratar os outros com amor e respeito.

13. A Parábola do Filho Pródigo

A Parábola Filho Pródigo

Referência Bíblica: Lucas 15

Era uma vez um homem que tinha dois filhos. O filho mais novo era curioso e aventureiro, enquanto o filho mais velho era responsável e trabalhador.

Um dia, o filho mais novo disse ao pai: “Pai, quero minha parte da herança agora. Quero explorar o mundo e viver minhas próprias aventuras”. O pai, triste, deu ao filho a sua parte da herança.

O filho mais novo partiu para uma terra distante, onde gastou todo o seu dinheiro em festas, roupas bonitas e coisas extravagantes. Mas, infelizmente, uma grande fome atingiu aquele lugar, e ele ficou sem dinheiro.

Ele percebeu que estava com muita saudade de casa e de seu pai, se arrependeu de suas ações e decidiu voltar para casa.

Quando o pai viu o filho voltando, ele correu ao seu encontro e o abraçou com amor.

O filho disse: “Pai, pequei contra o céu e contra ti. Não sou mais digno de ser chamado teu filho”. Mas o pai estava tão feliz em tê-lo de volta que organizou uma grande festa para celebrar.

O filho mais velho ficou chateado porque pensava que o pai estava sendo injusto. Ele disse: “Pai, tenho trabalhado duro para ti todos esses anos, e nunca me deste uma festa assim”.

Mas o pai explicou: “Filho, você sempre esteve comigo, e tudo o que é meu é seu. Mas este meu filho estava perdido e agora foi encontrado. Devemos comemorar e ser alegres”.

Moral da “Parábola do Filho Pródigo”

Todos merecem uma segunda chance e o amor da família é incondicional.

Na história, vimos que o filho mais novo fez escolhas erradas e gastou todo o seu dinheiro com futilidades. Mas, quando ele se arrependeu e voltou para casa, seu pai o recebeu de braços abertos e o amou mesmo assim.

Isso nos ensina que, mesmo quando erramos, podemos ser perdoados e receber uma nova oportunidade. E nossa família deve sempre nos apoiar e nos amar.

14. Jesus e a Multiplicação dos Pães e Peixes

Jesus e a Multiplicaçã dos Pães e Peixes

Referência Bíblica: João 6

Jesus que era conhecido por seus ensinamentos e milagres, ele tinha muitos seguidores que o amavam e queriam ouvir suas palavras de sabedoria.

Um dia, Jesus estava ensinando uma multidão em um lugar distante e elas estavam com fome, pois não trouxeram comida suficiente para o dia todo.

Jesus olhou para a multidão, sentiu compaixão por eles e perguntou a seus discípulos se tinham algum alimento, mas eles encontraram apenas cinco pães e dois peixes, que não seriam suficientes para todos.

Mas Jesus disse: “Tragam-me os pães e os peixes”. Ele pegou os pães e peixes, olhou para o céu, agradeceu por eles, e começou a parti-los e oferecê-los aos discípulos, que distribuíram para a multidão.

Então, algo incrível aconteceu! Os pães e os peixes multiplicaram-se de forma surpreendente.

Todos na multidão comeram e ficaram satisfeitos, e ainda sobraram doze cestos cheios de comida!

As pessoas ficaram maravilhadas com o que viram. Elas sabiam que Jesus tinha realizado um grande milagre e perceberam que ele era um homem especial, enviado por Deus.

Moral da história “Jesus e a Multiplicação dos Pães e Peixes”

Na história, Jesus mostrou que mesmo com apenas cinco pães e dois peixes, Ele conseguiu alimentar uma multidão inteira. Isso nos ensina a importância de compartilhar o que temos, mesmo que pareça pouco.

Também aprendemos sobre a importância da confiança em Deus. Jesus olhou para o céu e agradeceu antes de partir os pães e peixes. Ele confiou que Deus faria algo especial, e Ele fez!

15. A Ressurreição de Jesus

A Ressurreição de Jesus

Referência Bíblica: Lucas 24

Havia um homem chamado Jesus, que era especial e amado por muitas pessoas. Ele ensinava sobre o amor de Deus e fazia milagres incríveis, como curar os doentes e ajudar os necessitados.

Mas, infelizmente, algumas pessoas não gostavam de Jesus e o prenderam. E Ele morreu crucificado para salvar a humanidade dos seus pecados.

Seus amigos o colocaram em uma tumba e uma grande pedra foi colocada na entrada. No entanto, no terceiro dia, algo maravilhoso aconteceu! Um anjo desceu dos céus e rolou a pedra da entrada da tumba.

Quando os amigos de Jesus foram visitar o túmulo, ficaram surpresos ao encontrá-lo vazio! O anjo disse a eles: “Não tenham medo! Jesus ressuscitou dos mortos, assim como havia dito. Ele está vivo novamente!”

Os amigos de Jesus ficaram muito felizes e contaram a todos sobre Sua Ressurreição.

Eles viram Jesus vivo novamente e sabiam que ele era o Filho de Deus, que veio para trazer amor e salvação ao mundo.

Moral da história “A Ressurreição de Jesus”

A Ressurreição de Jesus nos mostra que o amor de Deus é poderoso e que ele sempre cuida de nós.

Jesus mostrou que a morte não é o fim, mas sim um novo começo. Ele nos deu a certeza de que a vida continua mesmo depois que morremos.

Então, mesmo que alguém que amamos tenha falecido, podemos nos lembrar que essa pessoa está vivendo com Deus e que um dia nos a encontraremos novamente.

16. A Ascensão de Jesus

A Ascensão de Jesus

Referência Biblia: Atos 1

Após ressuscitar dos mortos, Jesus passou algum tempo com seus amigos e seguidores. Ele os confortou, ensinou-lhes mais coisas importantes e disse a eles que não ficariam sozinhos.

Em um dia muito especial, Jesus levou seus amigos a um monte. Lá, Ele disse a eles: “Chegou a hora de eu voltar para o meu Pai no céu, mas não se preocupem, pois eu sempre estarei com vocês em seus corações”.

Enquanto seus amigos olhavam, algo maravilhoso aconteceu. Jesus começou a subir para o céu, flutuando no ar! Seus amigos ficaram surpresos e maravilhados ao vê-lo subir mais e mais alto, até desaparecer nas nuvens.

Um anjo apareceu e disse aos amigos de Jesus: “Por que estão olhando para o céu? Jesus voltará um dia, mas agora é hora de espalhar seu amor e ensinamentos pelo mundo.”

Os amigos de Jesus sentiram um misto de tristeza e alegria. Eles sabiam que Jesus estava voltando para o céu, mas também sabiam que Ele estaria sempre com eles em seus corações.

Moral da história “A Ascensão de Jesus”

Jesus subiu para o céu diante de seus amigos, mas lhes disse que estaria sempre com eles em seus corações. Isso nos ensina que não precisamos vê-lo fisicamente para sentirmos sua presença e amor.

Por tanto, mesmo que não possamos vê-lo fisicamente, Jesus está sempre conosco. Ele nos deu o Espírito Santo, que nos ajuda a lembrar de seus ensinamentos e nos guiar em nosso caminho.

Podemos conversar com Jesus por meio de oração, compartilhando nossos sentimentos com Ele e buscando sua orientação.

17. Pentecostes e o Espírito Santo

Pentecostes e o Espírito Santo

Referência Bíblica: Atos 2

Após a Ascensão de Jesus ao céu, os discípulos se reuniram em um lugar. Eles estavam esperando algo muito especial que Jesus havia prometido: o Espírito Santo.

De repente, um som como um vento forte encheu o lugar e algo incrível aconteceu: chamas de fogo apareceram sobre a cabeça de cada discípulo. Eles estavam cheios do Espírito Santo!

Os discípulos começaram a falar em línguas diferentes, e todos que estavam ao redor ficaram surpresos. Cada pessoa ouvia em sua própria língua nativa, mesmo que os discípulos estivessem falando em apenas uma língua.

Pedro, um dos discípulos, ficou de pé e começou a falar para a multidão. Ele falou sobre Jesus, seu amor e sacrifício na cruz.

Muitas pessoas ouviram e acreditaram em Jesus naquele dia, tornando-se seguidores dele.

O Espírito Santo deu aos discípulos coragem e sabedoria para compartilhar a mensagem de Jesus com o mundo. Eles se tornaram mensageiros especiais, espalhando o amor e a Palavra de Deus para todos.

Moral da história “Pentecostes e o Espírito Santo”

Assim como os discípulos, podemos pedir ao Espírito Santo para nos ajudar em nossas vidas. Ele nos dá coragem para fazer coisas boas, nos ajuda a falar palavras gentis e nos guia em nossas escolhas.

Então, vamos lembrar dessa história e pedir ao Espírito Santo para nos encher com seu amor. Vamos ser corajosos, gentis e fazer o bem, espalhando a alegria de Jesus para todos ao nosso redor.

18. A História de Paulo

A História de Paulo

Referência Bíblica: Atos 7 a 9

Paulo era um homem muito especial, mas nem sempre fez as coisas certas. No começo, Paulo não acreditava em Jesus e até fazia coisas ruins para seus seguidores.

Um dia, enquanto estava em uma jornada, algo incrível aconteceu! Jesus apareceu para Paulo em uma luz brilhante e falou com ele. Nesse momento, Paulo percebeu que estava errado e decidiu seguir Jesus.

Paulo começou a viajar para diferentes lugares, falando sobre Jesus e seu amor. Ele se tornou um grande pregador e escreveu cartas para ensinar as pessoas sobre a bondade e o perdão de Deus.

Embora Paulo tenha enfrentado muitas dificuldades e perseguições, ele nunca desistiu. Ele continuou compartilhando a mensagem de Jesus, mesmo quando as coisas ficaram difíceis.

Paulo mostrou às pessoas o poder do amor de Deus e ajudou os outros, encorajou-os a serem bondosos e a se ajudarem mutuamente. Ele mostrou que, independentemente de quem éramos antes, podemos mudar e fazer coisas boas.

Moral da “História de Paulo”

Paula fazia coisas ruins, mas quando ele encontrou Jesus, sua vida mudou completamente. Ele se tornou um seguidor de Jesus e começou a fazer coisas boas, ajudando os outros e compartilhando o amor de Deus.

A “História de Paulo” nos ensina que todos podemos mudar e seguir Jesus, não importa o que tenhamos feito antes. Deus sempre nos oferece uma nova chance e nos ama muito.

19. A Parábola do Semeador

A Parábola do Semeador

Referência Bíblica: Mateus 13

Havia uma vez um homem que gostava muito de plantar sementes. Ele tinha um saco cheio delas e saiu para semear em diferentes lugares.

O homem jogou as sementes no chão e algumas caíram em um caminho onde muitas pessoas passavam.

Os passarinhos vieram e comeram todas as sementes e elas não puderam crescer.

Outras sementes caíram em um solo onde havia muitas pedras. Elas começaram a crescer, mas não tinham raízes profundas, então quando o tempo ficou quente, as plantinhas secaram e morreram.

Algumas sementes caíram entre espinhos, que cresceram e sufocaram as plantas. Elas não conseguiram crescer e dar frutos.

Mas algumas sementes caíram em uma terra boa, sem pedras e espinhos. Elas cresceram e se tornaram lindas plantas e deram muitos frutos.

Jesus contou essa história para as pessoas e explicou o seu significado. Ele disse que as sementes representam a palavra de Deus, e nós somos como o solo onde as sementes são plantadas.

Moral da “Parábola do Semeador”

Algumas pessoas ouvem a palavra de Deus, mas não a entendem. Assim como as sementes no caminho, a palavra é tirada de seus corações e elas não a seguem.

Outras pessoas ouvem a palavra de Deus e ficam felizes, mas não têm uma fé profunda. Assim como as sementes no solo pedregoso, quando surgem dificuldades, elas desistem.

Há também pessoas que ouvem a palavra de Deus, mas permitem que as preocupações e os prazeres deste mundo as distraiam. Assim como as sementes entre os espinhos, elas não conseguem crescer espiritualmente.

Mas há aquelas pessoas que ouvem a palavra de Deus, a entendem e a seguem com todo o coração. Elas são como as sementes na terra boa, e suas vidas dão frutos maravilhosos.

Portanto, vamos cultivar um coração bom, onde a palavra de Deus possa crescer e florescer. Vamos ser como um solo bom, para que a palavra de Deus possa nos transformar em boas pessoas, cheias de amor e prontas para fazer o bem.

20. Os Sonhos de José

Os Sonhos de José
Distant Shores Media/Sweet Publishing, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons / Recortado do original

Referência Bíblica: Gênesis 37, 39, 40 e 41

José era um jovem que tinha um coração cheio de sonhos e um dom especial de interpretar esses sonhos. Ele vivia com sua família e tinha onze irmãos mais velhos.

José adorava contar seus sonhos aos irmãos, mas eles não gostavam muito disso.

Um dia, ele teve um sonho especial: ele sonhou que todas as estrelas do céu se curvavam diante dele. Quando contou aos irmãos, eles ficaram zangados e com ciúmes.

Logo depois, José teve outro sonho: ele sonhou que o sol, a lua e onze estrelas se curvavam diante dele. José contou novamente aos irmãos, mas eles não conseguiram entender o significado desses sonhos.

Os irmãos de José ficaram tão irritados e com inveja que decidiram fazer algo terrível. Eles o venderam como escravo e o levaram para longe de sua família.

José foi parar no Egito, onde começou uma nova vida como escravo. No Egito, José foi vendido para um homem chamado Potifar.

Mas, mesmo como escravo, José nunca desistiu dos seus sonhos. Ele trabalhou duro e sempre se esforçou para fazer o seu melhor.

Deus estava com José, e Potifar percebeu que ele era um homem especial. José ganhou a confiança de Potifar e se tornou um governante em sua casa.

Infelizmente, problemas surgiram novamente na vida dele, ele foi acusado injustamente e foi parar na prisão.

Porém, mesmo na prisão, José continuou a confiar em Deus e a acreditar em seus sonhos.

Deus estava sempre com José e deu a ele a habilidade de interpretar os sonhos de outros prisioneiros.

Um certo dia, o faraó do Egito teve um sonho estranho, e ninguém conseguia entendê-lo. Foi então que alguém lembrou de José e suas habilidades especiais.

José foi chamado perante o faraó, e ele interpretou o sonho com sabedoria. Ele disse ao faraó que haveria sete anos de fartura seguidos por sete anos de fome.

José aconselhou o faraó a armazenar comida durante os anos de fartura para que houvesse alimento suficiente durante os anos de fome.

O faraó ficou impressionado com a sabedoria de José e o nomeou governante do Egito.

José liderou o país com sucesso durante os anos de fartura e também durante os anos de fome, garantindo que todas as pessoas tivessem o suficiente para comer.

Depois de muitos anos, os irmãos de José vieram ao Egito em busca de comida. Eles não o reconheceram, mas José os reconheceu.

Ele os perdoou e se reconciliou com seus irmãos. E eles finalmente entenderam o significado dos sonhos de José e como Deus o havia abençoado.

Moral da história “Os Sonhos de José”

Devemos acreditar nos nossos sonhos e confiar em Deus, mesmo quando enfrentamos desafios.

Assim como José teve sonhos especiais, cada um de nós também tem sonhos e desejos no coração. Esses sonhos podem parecer distantes ou impossíveis às vezes, mas não devemos desistir.

A história também nos mostra a importância do perdão e da bondade. José escolheu perdoar seus irmãos e mostrou amor, mesmo quando teve a oportunidade de se vingar.

Por que histórias bíblicas infantis são importantes?

Histórias bíblicas infantis são importantes porque ajudam as crianças a entenderem a Bíblia e sua mensagem, e também servem para passar lições de moral que contribuem para a formação do caráter das crianças.

Como as histórias bíblicas infantis podem influenciar as crianças?

As histórias bíblicas infantis podem influenciar as crianças de várias maneiras.

Elas podem ensinar lições valiosas sobre a fé em Deus, com a história de Abraão e Isaac que ensina sobre a fé e a obediência a Deus. Elas também mostram às crianças como serem humildes e amáveis para com os outros, como a Parábola do Bom Samaritano.

O que são as parábolas bíblicas?

As parábolas bíblicas são histórias curtas usadas por Jesus para ensinar lições importantes sobre o reino de Deus. Elas costumam ter personagens simbólicos e mensagens profundas.

Algumas das parábolas bíblicas mais famosas são: a Parábola do Semeador, a Parábola do Fariseu e do Publicano, a Parábola do Tesouro Escondido, a Parábola do Filho Pródigo e a Parábola dos Talentos.

Conclusão

Ao contar essas histórias, as crianças aprenderão sobre virtudes, como a confiança em Deus, a humildade, a honestidade, a bondade, a fé e a perseverança. 

Elas também aprenderão sobre os conceitos bíblicos fundamentais, como o pecado, o perdão, a salvação, o amor incondicional de Deus e a importância de servir a Deus e ao próximo.

Essas lições são de vital importância para a vida de uma criança cristã por ajudar a formar valores morais que a guiarão durante toda sua vida.

Banner Amazon Celulares e Smartphones
Banner Amazon Celulares e Smartphones
Banner Amazon Celulares e Smartphones

Sobre o autor

Caio Azevedo

Caio Azevedo

Caio Azevedo é autor e editor do Cursos De Teologia Online. Com formação superior em Teologia e membro da Igreja Evangélica há mais de 20 anos, ele trabalha com o objetivo de ajudar as pessoas a aprenderem mais sobre a fé cristã e as Escrituras.

Sobre o autor

Caio Azevedo

Caio Azevedo

Caio Azevedo é autor e editor do Cursos De Teologia Online. Com formação superior em Teologia e membro da Igreja Evangélica há mais de 20 anos, ele trabalha com o objetivo de ajudar as pessoas a aprenderem mais sobre a fé cristã e as Escrituras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *